QUEM SOU EU

Minha foto
Sou apenas "O PREGADOR". Neste blog resolvi postar alguns esboços, estudos e mensagens. Para mim, ser um pregador do evangelho é uma missão e nunca uma profissão. Sinta-se a vontade ao ler este blog, pois o Maná Diário do Pregador não pertence a nenhuma religião católica, protestante, evangélica, espírita, ou outra. Seja muito bem-vindo!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

COMO SE DEVE TRATAR UM IRMÃO CULPADO



“Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai,
e repreende-o entre ti e ele só;
se te ouvir, ganhaste a teu irmão;
mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois,
para que pela boca de duas ou três testemunhas
toda a palavra seja confirmada.
E, se não as escutar, dize-o à igreja; e,
se também não escutar a igreja,
considera-o como um gentio e publicano.”.
(Mateus 18:15-17).

- Estas são as diretrizes de Jesus para lidarmos com aqueles que pecam contra nós. Elas dizem respeito:

1 Aos cristãos, não aos incrédulos.

2 Aos pecados cometidos contra você, e não contra outra pessoa.

3 À resolução de conflitos no contexto da Igreja, e não à comunidade em geral.



- As palavras de Jesus não dão permissão para um ataque frontal a cada um que nos ofenda ou despreze.

- Não autorizam o início de uma destruidora campanha de difamação ou a intimação para um julgamento por parte da Igreja.

- Foram destinadas a reconciliar aqueles que estão em desacordo, para que todos os cristãos possam viver em harmonia.

- Quando alguém nos ofende ou nos causa algum agravo, geralmente fazemos o oposto do que Jesus recomenda.

- Afastamo-nos com ódio ou ressentimento, procuramos vingança ou envolvemo-nos em mexericos.

- No entanto, primeiro devemos procurar tal pessoa, por mais difícil que isso parecer.

- Depois, devemos perdoá-la tantas vezes quanto forem necessárias:



“Então Pedro, aproximando-se dele, disse:
Senhor,
até quantas vezes pecará meu irmão contra mim,
e eu lhe perdoarei? Até sete?
Jesus lhe disse:
Não te digo que até sete;
mas, até setenta vezes sete.”.
(Mateus 18:21-22).


- Esta atitude criará uma melhor oportunidade para a restauração do relacionamento.


PRIMEIRA OFENSA:



“Ora, se teu irmão pecar contra ti,
vai, e repreende-o entre ti e ele só;
se te ouvir, ganhaste a teu irmão;”.
(Mateus 18:15).

- Em vez de guardar mágoas de um irmão, devemos tentar esclarecer nossas diferenças com um diálogo à parte, reservado.

- Os ímpios costumam ir pra televisão discutir assuntos que não dizem respeito a ninguém, porém, é comum maridos e esposas, vizinhos e etc., fazerem acusações em rede nacional.

- Não é assim que nós devemos agir.

- Uma conversa desprovida de orgulho e vaidade, mas movida pela sinceridade e humildade, e em particular, pode evitar muitos aborrecimentos.

- Talvez você pense que isto não adiantará, mas será que você já tentou?

- Experimente ser humilde e sincero com as pessoas, e com certeza o resultado será positivo.


SEGUNDA OFENSA:



“Mas, se não te ouvir,
leva ainda contigo um ou dois,
para que pela boca de duas ou três testemunhas
toda a palavra seja confirmada.”.
(Mateus 18:16).

- As vezes ser sincero e humilde, podem não resolver o problema.

- Nunca devemos esquecer, que a nossa mágoa, não é maior do que a da pessoa da qual vamos tentar a reconciliação.

- Esta pessoa pode estar muito machucada, e reagir de uma maneira inesperada não aceitando nossas desculpas ou perdão.

- Neste caso, o SENHOR Jesus nos orienta a levar outra pessoa junto para nos ajudar a conciliar a situação.

- Uma pessoa experiente e respeitada por ambas as partes, pode nos ajudar como mediador de uma segunda tentativa de reconciliação.

- Esta terceira pessoa, também serve como testemunha, para que toda palavra seja confirmada.

- Procure sempre a ajuda das pessoas mais experientes para lhe ajudar em questões onde exige sabedoria brandura.


A PARTIR DA TERCEIRA OFENSA:



“E, se não as escutar, dize-o à igreja; e,
se também não escutar a igreja,
considera-o como um gentio e publicano.”.
(Mateus 18:17).

- A partir da terceira vez, nossa atitude em relação a um ofensor, não deve ser diferente.

- No versículo 17, está bem claro que se esta pessoa não nos escutar, devemos levar a questão á Igreja. “Dize-o à Igreja!”.

- Porém, este “dize-o à igreja”, não é pegar um microfone e contar os detalhes diante dos membros da igreja onde você congrega.

- Dize-o à igreja, em outras palavras é levar a questão à liderança da igreja.

- A igreja de Jesus, apesar de não construir templos neste mundo, tem um corpo muito bem organizado, onde uns são escolhidos para liderança:



"E ele mesmo deu uns para apóstolos,
e outros para profetas,
e outros para evangelistas,
e outros para pastores e doutores," .
(Efésios 04:11).

- “Dize-o à igreja”, quer dizer: Leve sua causa até seu líder.

- É obrigação de seu líder lhe auxiliar nestas questões.

- Estes “pastores” modernos que nunca tem tempo para você, devido uma agenda lotada não são pastores, são profissionais do púlpito.

- Procure a verdadeira igreja de Jesus, onde seus direitos sejam verdadeiramente respeitados.


CONSIDERA-O COMO UM GENTIO E PUBLICANO:



“E, se não as escutar, dize-o à igreja; e,
se também não escutar a igreja,
considera-o como um gentio e publicano.”.
(Mateus 18:17).

- Você conversou em particular com a pessoa, levou uma testemunha, pediu ajuda à Igreja, e nada fez com que esta pessoa aceitasse uma reconciliação com você, então, agora você deve considerá-la como um gentio e publicano.

- Em outras palavras, Jesus nos orienta a tratar esta pessoa como uma pecadora.

- Porém, esta palavra de Jesus não pode ser mal interpretada.

- Quando Jesus ensina que devemos considerar está pessoa como se fosse uma pecadora, Ele está nos dizendo para AMAR mais ainda a esta pessoa.

- Ele não está nos orientando a maltratar esta pessoa.



- Jesus sempre amou e tratou com carinho e respeito o pecador, e nós também devemos ter a mesma atitude.


CONCLUSÃO:



“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos,
bendizei os que vos maldizem,
fazei bem aos que vos odeiam,
e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem;
para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;”.
(Mateus 05:44).

- Em vez de guardamos mágoa ou ressentimento desta pessoa, devemos amar e orar por ela.

- Perder uma questão terrena não pode ser mais importante que ganhar o direito de viver eternamente com Cristo Jesus no céu.

- Nós não fomos chamados para vencer todas as batalhas como dizem estas músicas gospel por aí.

- Às vezes, as nossas tentativas de fazer o certo fracassam, principalmente quando envolve outras pessoas, mas isto não pode nos desanimar a servir a Cristo Jesus com alegria.



“Se for possível,
quanto estiver em vós,
tende paz com todos os homens.”.
(Romanos 12:18).

- “Se possível, tende paz com todos os homens!”.

- Não é possível que tenhamos paz com todas as pessoas, mas no que depender de nós, devemos sempre buscar esta paz em nome de Cristo Jesus.

- Nem Cristo agradou a todos!


"A ÚNICA VERDADE QUE LIBERTA É A DE DEUS
AS OUTRAS APENAS MACHUCAM"

*

3 comentários:

  1. Obrigado querido irmão por este estudo da palavra de Deus.Era o que eu estava precisando dentro de uma situação na igreja.Deus continue te abençoando.Pastora Terezinha

    ResponderExcluir
  2. Agradeço a Deus pela pessoa que escreveu esse texto e se dispôs a fazer um blog ecumênico, onde o único objetivo é evangelizar.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muitíssimo da exposição hermeneutica. A Bíblia por si só se explica e nos ensina a viver como cidadãos do Reino de Deus. Não tem o que refutar, muito pelo contrário, é viver a constituição do Reino de Deus, difícil para os carnais e normal para os espirituais.

    ResponderExcluir